Resoluções de ano novo por um otimista

“Pro ano novo? O que eu quero?”

Não sei. O que tu queres?
Mais amor, mais sorrisos falsos, mais beijos no pescoço.
Mais uma dose, por favor.
Mais noites sem deitar na cama só pra lembrar daquela que se foi. Mais noites alucinando, mais dias escuros e noites sem conseguir dormir. Sem conseguir pensar.

Mais palavras escritas e menos palavras ditas, mais café pra aguentar as três horas de sono durante as doze horas de expediente, mais tentativas e mais falhas, mais cortes nos pulsos, mais tentativas de não pensar em tentar se matar.
Mais dinheiro, mais peitos, menos quilos e essa porra de quadril enorme que nunca sai.

Menos amigos, cada vez menos, parece que eles gostam de sumir. Menos amor. Menos importância e menos carinho. Mais preocupação com quem não se preocupa. Mais ansiedade, mais depressão, mais “para de ser dramática”, menos olhos ternos, mais olhos que te engolem em julgamento e ódio.

Menos lembranças, mais saudade. Mais segundas nubladas, mais primaveras chuvosas, mais vontade de ir embora pra sempre. Menos risadas, mas menos lágrimas também. Mais um coração de pedra pra coleção e mais um troféu na estante de quem não te quer.

“Mais saúde e paz pra todo mundo.”